Media

A Inclusão Financeira ainda representa um desafio às comunidades de baixa renda em África.


Michael Armstrong, Director Regional do ICAEW para o Médio Oriente, África e Sudeste Asiático.

O ambiente financeiro da África é tão competitivo quanto o dos demais países em desenvolvimento e o das regiões de alta renda de determinados países. No entanto, segundo o ICAEW (instituto de revisores oficiais de contas da Inglaterra e País de Gales), o acesso a financiamentos ainda representa um desafio. O órgão financeiro e contabilístico observa em seu relatório Economic Insight: África Q3 2016 que embora alguns países tenham excelente robustez financeira, o acesso ao crédito ainda representa um desafio para muitos africanos.


LONDRES, Reino Unido, 18 de Outubro de 2016,-/African Media Agency (AMA)/- O relatório faz uma análise comparativa dos sistemas financeiros e regulamentos da África em relação à Região da África Subsariana (SSA). Compara os indicadores do ambiente financeiro (inclusive das métricas de crédito, avaliação de risco e política monetária), bem como regulamentos e fiscalização dos critérios.

O relatório examina o papel que os financiamentos podem desempenhar no desenvolvimento económico em todo o continente, bem como a possível evolução do custo dos financiamentos nos próximos anos. Nas classificações de 2016, a Ruanda teve o melhor desempenho na SSA em termos de obtenção de crédito, seguido da Zâmbia, Quénia, Gana, Ilha Maurícia e Uganda. Isso provavelmente deve-se ao facto de que, durante o período de 2010 e 2016, a Ruanda realizou seis reformas para facilitar obtenção de crédito, reforçando as leis colaterais relativas a mutuários e mutuantes.

Entretanto, Michael Armstrong, Director Regional do ICAEW para o Oriente Médio, África e Sudeste Asiático observa que a “inclusão financeira permanece baixa na África. Embora grande parte da população da África Subsaariana tenha acesso a um sistema bancário oficial nas comunidades de baixa renda, a extensão do acesso aos serviços financeiros desses indivíduos é limitada, especialmente quando considera-se a disponibilização restrita do crédito privado. Se o quadro permanecer inalterado poderá ser observado efeitos reais sobre o crescimento económico. Os governos que esperam promover prosperidade devem considerar o modo como poderão aumentar o acesso aos financiamentos.”

Em 2015, segundo o Making Finance Work for Africa (MFW4A), apenas 23% dos agregados familiares africanos tiveram acesso a serviços financeiros oficiais ou semioficiais. Existe, portanto, uma variabilidade significativa entre os níveis de desenvolvimento do sector financeiro dos países. A Concessão de Crédito do Sector Privado (PSCE) em relação ao PIB reflecte o grau de disponibilização de capital para as empresas por parte do sector bancário. E a maioria dos países da SSA tem PSCE relativamente baixa em relação à taxa do PIB, o que revela a natureza subdesenvolvida do sector bancário, bem como a disponibilização restrita de crédito privado desses países.

O relatório constata que a África do Sul e Ilha Maurícia têm a mais elevada PSCE em relação às taxas do PIB do continente, sendo que em 2015 a da Africa do Sul ficou estimada em 150% e a da Ilha de Maurícia em aproximadamente 104%. Esses percentuais mantem-se impressivos até no contexto global: a taxa da África do Sul é superior a do Reino Unido (134%), ao passo que o percentual da Ilha Maurícia fica pouco acima do rendimento médio global, com o coeficiente médio de ponderação de 102%. As taxas elevadas têm sua origem no facto de que os sectores financeiros desses países são mais avançados que os dos demais países da SSA.

O Economic Insight: Africa Q3 2016 foi publicado pela Oxford Economics, parceira do ICAEW e especialista credenciada sobre as previsões económicas globais, e pela NKC African Economics.

Para leitura completa do relatório Economic Insight: Africa, queira clicar na ligação: http://www.icaew.com/en/technical/economy/economic-insight/economic-insight-africa

Distribuído pela African Media Agency (AMA) em nome de ICAEW.

Pedido de informação à imprensa:
Jamie Douglass
ICAEW Press Office (assessoria de imprensa)
Tel: +44 (0)20 7920 8718 ou correio electrónico James.Douglass@icaew.com
Charity Katago
Tell-Em Public Relations – África Oriental
Tel: +254 722 738 583 ou correio electrónico charity.katago@tell-em-pr.com

Joel Chacha
Tell-Em Public Relations – África Oriental
Tel: +254 722 909 251 ou correio electrónico joel.chacha@tell-em-pr.com

Comunicados aos editores:

Sobre o ICAEW
1. O ICAEW é uma instituição de filiação profissional que figura-se entre os líderes mundiais e que promove, desenvolve e apoia mais de 145 mil revisores oficiais de contas em todo o mundo. Proporcionamos qualificações e desenvolvimento profissional, compartilhamos conhecimento, compreensão e especialização técnica, e protegemos a qualidade e integridade da profissão contabilística e financeira.

Na capacidade de líderes contabilísticos, financeiros e empresariais nossos membros possuem o conhecimento, as competências e o compromisso para conservação dos mais elevados padrões profissionais e integridade. Contribuímos conjuntamente para o sucesso de indivíduos, empresas, comunidades e economias em todo o mundo.

Graças a nós, as pessoas podem realizar negócios com confiança.

2. O ICAEW é membro fundador do Chartered Accountants Worldwide e da Global Accounting Alliance.

Sobre a Oxford Economics

A Oxford Economics é uma das principais empresas de consultoria económica do mundo e conduz análises em 200 países, 100 indústrias e 3 mil cidades. Suas ferramentas analíticas proporcionam uma capacidade inigualável de previsão das tendências económicas, bem como seu impacto económico, social e comercial. Com sede situada em Oxford, na Inglaterra, a empresa dispõe de unidades regionais em Londres, Nova Iorque e Singapura, bem como escritórios ao redor do mundo, e emprega uma das maiores equipas de macroeconomistas e especialistas em liderança de pensamento.

FONTE:
http://amediaagency.com/a-inclusao-financeira-ainda-representa-um-desafio-as-comunidades-de-baixa-renda-da-africa/

Fale Connosco

Envie-nos as suas questões. Responderemos o mais breve possível.

Para enviar o seu currículo, clique aqui.
Os currículos enviados pelo formulário abaixo, não serão considerados.

Este site usa cookies para garantir que obtém uma melhor experiência de navegação. Saiba mais sobre a nossa Política de Cookies.
Fechar
Pesquisar...